sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Assumo!!

Por essa blogosfera fora se comenta o artigo do Dr. Eduardo Sá ,sobre os filhos ficarem nas creches horas em excesso.
Os meus filhos entram na escola as 9h/9h15 e vou buscá-los pelas 17h30/18h. Sim, sou uma "stay at home mom" e os meus filhos passam essas horas todas na escola. Não, não passo o tempo em casa a ver tv e a vegetar no sofá. Passo o dia numa correria a tratar seja de assuntos ou coisas de casa e claro, da mais nova que apesar dos seus 3 meses, dá muito que fazer.
Vou ás compras sem eles e recuso-me a ir com os 3.Inclusive quando vivia no Algarve ela estava na escola, eu com o do meio em casa e algumas manhãs deixava a mais velha na escola e ia com o do meio para a praia.Sim também muitas vezes ia buscá-la e ainda íamos para a praia ao final da tarde.
Se me sinto culpada??Não!!
O que importa se os for buscar as 15/16h e eles ficarem no quarto enquanto eu passo a ferro, estendo roupa, lavo roupa e dar banho à mais nova. É preferível ir buscá-los as 18h ,mas já ter jantar adiantado, roupa tratada e mais nova de banho tomado. Porque (para mim) não interessa o tempo que estamos com eles, interessa sim é que o tempo que estamos com eles seja de qualidade.Tal como ontem que na hora de deitar começamos numa brincadeira parva que começou com gargalhas e acabou com abraços do puto a dizer: "Mãezinha....."

Há lá coisa melhor???


(é melhor preparar-me para os comentários que ai vêem...LOOL)

53 comentários:

Patricia disse...

subscrevo o que dizes apesar de não ter filhos...

beijos

Mãe da Rita disse...

Quantidade de tempo não é tempo de qualidade, isso é certo! Bjs, MJ

Rita disse...

Os meus estão no infantário das 8h45 até às 18h15, tirando 2 dias por semana que têm actividades e saem mais cedo. Mas realmente mais vale pouco tempo de qualidade, do que o contrário...

Silvia disse...

ora aí está um assunto complicado q acho mm mt pessoal... compreendo o q dizes, compreendo o artigo, mas aí está, depende mt das crianças e das familias. Por exemplo, aqui em casa vou buscar a cachopa as 16.15. Deixo-a às 9.30. Sei que só é possivel por estar em casa. Quem trabalha n tem essa possibilidade. Se a podia ir buscar mais tarde? Acho q sim. Mas aí vem a questão pessoal... ela, mm q eu esteja a tratar de coisas da casa, arranja sempre uma forma de brincar sozinha. E gosta disso. E eu gosto de a sentir por perto. Mas lá está... é um assunto mt importante para se retratar assim de forma tão simples. Mas n há dúvida: a qualidade do tempo é importantíssima como referiste.

Susy disse...

Pois eu concordo cntg com umas pequenas diferenças
pois eu os meus filhos tem mesmo de estar na escola ate a minha mãe os poder ir buscar pk eu só saio ás 20h ja viste deixo as 8:45 ,9h +ou- e a minha mae vai buscar a mais nova ás 5 e ele ás 18:45 .
Concordo que são muitas horas mas para quem tem certos empregos é muito complicado claro que qd estou de folga (que é so 1 dia)eu vou busca-la mais cedo e ele as 18:15 estou sempre á porta da escola á espera que toque .
Mas compreedo-te eu com dois custa ir as compras etc e tal quanto mais com 3
beijo

Sofia disse...

Eu acho que ele não queria culpabilizar as mães.
Acho que ele está a tentar trazer à discussão pública as estruturas sociais do nosso país.
Na verdade, creio que alguém, alguma associação, haveria de fazer força para que aquela licença de aleitamento/amamentação fosse prolongada. Acho que ele se referia a situações em que os meninos são deixados de manhã e vão buscá-los à noite, chegam a casa tomama banho, leite e dormem. Pronto. Isto não é convivio familiar.
O mais triste é que conheço um caso em que, sem qualquer necessidade, o menino fica das 8h30 até às 19h30. Isto é triste. Mas enfim.
Concordo quando falas em tempo de qualidade, se bem que também acho importante que eles sejam incluidos nalgumas tarefas. Por exemplo, quando tenho de passar a ferro, ele vai para os meus sogros, já quando tenho roupa para lavar e estender ou camas para fazer ele vem dar uma mãozinha, LOL
Depende das situações.
Sobretudo, acho que cada mãe faz o melhor que pode, e a isso nao admito que se aponte o dedo.
Bjinhos

Tânia disse...

Eu tenho uma opinião muito próxima da da Sílvia, muito embora não tenha sempre conseguido ir buscar os miúdos cedo e agora chegue a casa mais tarde do que gostaria, por motivos profissionais. Apercebi-me disso sobretudo na licença de parto do mais novo, em que se notava que a miúda adorava o facto de a poder ir buscar mais cedo, ainda que nem sempre, em casa, eu pudesse estar com ela a brincar. Acho que dependerá muito dos miúdos, mas os meus precisam muito de sentir a nossa presença física...

Joana disse...

Eu não engomo e faço compras online. Vou buscar a R. sempre que posso, quando posso.
Acho que o grande problema é a questão da escolha. Há pessoas que não têm escolha, e não têm outras alternativas. Isso é que é mau, não poderem deixar os filhos na escola para ir as compras, trabalharem até as 7/8 e não terem ninguém a ajudar (e no fim disto tudo ganharem 500 euros por mês). O problema é não haver em Portugal uma política de apoio à família, e as mulheres serem muitas vezes descriminadas no trabalho por terem filhos (eu já fui, mtas xs).
De resto, o que cada um faz com as suas escolhas é muito pessoal e ninguem pode dizer nada! O importante é poder escolher.

Rita disse...

pois, os meus filhos graças à proximidade de idades não precisam de adultos por perto. basta-lhes um ao outro.
o que eu queria mostrar no post é mesmo sendo mãe a tempo inteiro os putos estão na escola e podia até ir buscá-los as 15h30(hora de saída da educadora), mas ficam na escola num género de ATL e o que eles adoram lá estar....

E aproveito para fazer tudo o que preciso :E tivesse a mais nova uns meses a mais enquanto eles iam p a escola eu ia de seguida p a praia:P

XuXu disse...

Pois eu tb estou em casa com a mais nova com 2 meses apenas... do trabalho fui "dispensada" quando soube que estava grávida...Vou buscar a mais velha ás 16h... 1º porque é a hora em que acabam as aulas, 2º porque ela precisa de ter tempo para as rotinas... Banho, TPC's, Jantar, mini brincadeira com os pais e hora da histórinha de dormir...
acorda todos os dias ás 730, ás 9h está na escola, ás 16h vem pra casa e ás 21h tá na cama
e garanto-te que nao tenho tempo para nada... tenho de ter sempre tudo muito organizado porque tb n tenho ajudas...
acho que o k seria de valor seria as empresas n descriminarem as mães...
é k nós não faltamos porque queremos, não chegamos tarde porque queremos, não pedimos pra sair a horas porque nos dá na bolha...
tamos a criar a próxima geração que irá dirigir este pais....
e se falharmos? ninguém se pergunta o k será de nós se falharmos... desde que os bolsos deles continuem cheios... tá tudo na boa...
A cada entrevista de trabalho que vou, que me dizem que o horário é das 8h ás 20h... com horas a mais ... eu penso... como é k eu posso fazer isso... não posso.. não consigo...
nenhuma escola me ficaria com as filhas até ás 21h... e diga-se de passagem... mesmo k ficasse, eu n ia querer... então e o papel de mãe? fica esqueçido...
o pessoal que gere este pais esquece k se não for a Mãe...a Mulher... daqui a uns anos não vale a pena sequer tentar cobrar imposto k n terão a quem os cobrar!!!
Dêm-nos condições pra sermos Mães! ... mas Mães com M grande!!!!

sofie disse...

Vou dar o meu testemunho:
Sou Mãe trabalhadora, ás 8 da manhã, já deveria estar na minha secretária (apesar de o horário ser 8:30,estes 30 minutos rendiam-me muito..), mas como a Escolinha só recebe ás 7.55, só consigo chegar ao trabalho ás 8:14. Quando não tenho a preciosa ajuda dos sogros o Diogo acaba por ficar até muito perto das 19. Se acho que
são horas a mais, é claro que acho, chego a casa esgotada e sem paciência nenhuma. A casa nunca está como eu gostaria que estivesse, e ás vezes está quase um caos. Valem-me os sogros que a grande maioria das vezes o vão buscar ás 17.30-

Supertatas disse...

concordo ctg! eu tb estou em casa, e só tenho um!, e no entanto tb só vou buscá-lo qd já tenho tudo despachado em casa, às vezes às 16 às vezes às 18 :P

Lua disse...

Eu estou na mesma situação que tu embora só tenha um filho e ao ler o teu post fiquei a sentir-me muito melhor, as vezes sinto-me um pouco culpada de ele estar na creche e eu estar em casa, mas vou te-lo em casa para ele se entreter a ver tv enquanto eu trato das coisas e qd saiu é relamente uma confusão.
Obrigado peo teu post
beijocas

Familia Paiva Alvo disse...

Assino por baixo...
Estou 100% de acordo...

csr disse...

desculpem lá, alguém me pode dar o link para o dito texto. É que não li o texto e gostaria de o fazer para me poder defender.
obrigada

csr disse...

Ok já encontrei... pois é temos pena...
acho que pode haver exageros, 24 horas aberto é um deles, isso e infantários assim:
"Defendendo como limite razoável seis horas diárias, lembra que "dramaticamente, há muitas crianças que passam 12 horas numa creche", onde "passam tempo de mais num berço, a olhar para um móbil que se movimenta num efeito hipnótico".
num jardim destes é que evitaria que os meu filhos ficassem. Evito ao máximo que eles fiquem muito tempo na escolinha, mas nem com um horário de 35 semanais se consegue as seis horas diárias, a entrar às nove e sair às 17 é impossível, estão 6/7 horas e é muito bom.
obrigada

Brisa disse...

Descobri este blog há pouco tempo e fiquei encantada por ler aqui tantas das preocupações e stresses que vivo no dia-a-dia. Concordo com alguém que diz que o tal psicólogo mais não faz que uma chamada de atenção não às mães mas às empresas que não querem saber que os seus funcionários tenham vida própria e filhos para criar. É certo que o tempo de quantidade não é necessariamente de qualidade. Mas qualquer mulher que tem um filho é porque pretende criá-lo e não delegar essa tarefa aos pais, sogros ou vizinhos. Mais alguém diz, e com muita razão, que o papel de uma mulher/mãe devia ser mais valorizado, pois qualquer dia não há novos cidadãos a quem cobrar impostos. Só tenho um filho, não embarco na aventura de outro porque não possuo condições para isso, não seria capaz de ser uma stay home mom, mas quero ser eu a responsável por criar um adulto com princípios e valores que o tornem um bom cidadão.

Miguel e Irina disse...

Será que o problema, não será o que os filhos querem e não o que tu queres?!
Para quê ter 3 filhos, se é para os depositar num infantário o dia todo??
Estou de acordo que um bébé de 3 meses dá muiiiiiiiiito que fazer, mas acho que da maneira como escreveste este texto parece que te sentes mais culpada da tua atitude do que aparentas..
Desculpa, não pretendo ofender-te, é só a minha opinião, pois parece-me que nos dias que correm, ter filhos está na moda, seguidinhos de preferência... e ter filhos é uma grande responsabilidade.
Tenho uma filha, linda de 2 anos e estou em casa com ela, pois a vida assim o permite, sou uma previligiada. Não páro o dia todo, ela tem pilhas que não acabam nunca! Não trocava a companhia dela por nada do mundo... e ouco-a a chamar-me mãezinha tantas vezes ao dia que por vezes até me comovo!
Ser mãe é uma coisa maravilhosa e é preciso ser levada a sério.
Ah... só uma pergunta, não consegues levar os 3 juntos a lado nenhum porque?
Portam-se mal? Serão chamadas de atencão?

Joana disse...

Pessoalmente, não queria ficar em casa com os filhos. Gosto de ter uma profissão, e gosto que a minha filha me veja como uma pessoa pensante e que para além de mãe é muitas outras coisas. Claro que, como disse, a questão de poder escolher é muito importante. E nem toda a gente pode escolher.

Silvia disse...

não percebi o último cometário: sou uma pessoa pensante, mm estando em casa...

XuXu disse...

Miguel e Irina... tenta ter 3 filhos e depois diz-me como é levar os 3 ás compras ao pingo doce (ou a kk outro lado!!)...
não te esqueças que para as crianas qualquer saida é uma aventura....
Eu já sai com 4 miudos (n filhos, k desses só tenho2) e devo-te dizer... os gajos vão o tempo todo a brincar... a serem akilo que são... crianças!
é uma alegria...
Mas nenhuma mãe consegue ter 4 olhos... nenhuma mãe consegue impedir que eles corram nos corredores... que peçam guloseimas... que gritem uns com os outros de emoção!!! São crianças... é isso que é suposto elas fazerem...

XuXu disse...

Joana e sílvia...
Bom... eu estou em casa.. a 100% e não acho que isso me faça menos pensante que quando não estava em casa...
Mas uma coisa é certa, qd trabalhava, a mais velha ficava orgulhosa qd ia ver o trabalho da mãe, vibrou qd publiquei o meu 1º artigo... e agora... chega a casa e tem uma mãe que é só dela, com todo o tempo do mundo pra ela (e prá mana claro!)...a casa está tratada (a maior parte das vezes aspirada, lavada e arrumada que é o essencial!) e o jantar alinhavado... no tempo que sobra só tenho de estar com ela, fazer os TPCs com ela, banho, jantar, brincar... só ela!!
e antes disto... a trabalhar, a coisa era totalmente diferente, ia buscá-la tarde demais e trazia sempre trabalho para casa...
Hoje sou indiscutivelmente mais mãe, mais presente, mas nem por isso menos pensante...

Sílvia disse...

Desculpa mas desta vez, não concordo contigo. Eu trabalho, nem sempre posso ir buscá-los cedo, mas quando posso, vou. E só depois vou às compras, com eles. O tempo que passam em casa, na minha opinião pode ser todo de qualidade. Primeiro porque é o lugar onde eles preferem estar, pelo menos os meus, e depois porque não têm de estar sempre a ver televisão. Brincam, pintam, melgam a mãe... enquanto isso posso fazer as tarefas domésticas de igual modo.
Eu falo da meu caso, claro, mas cada um deve sentir-se bem com as opções que toma. Eu sentirme-ía muito mal se não agisse assim!
Não me leves a mal, mais uma vez.
Beijinhos.

Mãe (q.b.) disse...

Até há pouco tempo as escolas publicas encerravam às 15h30... achava muito bem, o problema é que nós temos de bulir até mais umas 3/4 horas senão mais...

Era tudo muito giro se nós podessemos sair a essa hora e irmos brincar com eles pró parque/praia/baloiços... e não tivessemos todas as outras tarefas domésticas chatas e aborrecidas que temos há nossa espera... mesmo os pais, sim que este tipo de "avisos" não deveria servir só para as mães, deveriam ter esse direito e dever para com as criancinhas!

Mas meus amigos sejamos realistas, ou o mundo do trabalho muda muito ou parece-me que este tipo de assuntos nem vale a pena discutir!

Eu prefiro saber que o meu está lá na escola a divertir-se e a gozar da vidinha de puto, que andar nesta treta de vida laboral a levar com bocas foleiras de doutores, que ultimamente só sabem criticar os pais por tudo e por nada!

pá n tenho pachorra!

e ritinha sim, concordo contigo, mais vale tempo de qualidade que tempo em quantidade e atenção que é boa, nada!

jocas

Maffa disse...

Concordo a 100% com o Miguelirina e com a Sílvia. Eu só tenho um filho mas ia-me sentir a pior mäe do mundo se estando em casa só fosse buscar os meus às 18h...
Isso da qualidade emvez de quantidade é uma treta na minha opiniäo. Eles precisam de estar com os pais.

Rita disse...

Miguel e Irina

Sim, eu tenho 3 filhos porque está na moda e gosto de seguir as tendências da moda e como tal meti os 2 mais velhos num infantário o dia todo para não ter de os gramar. Posso até emprestá-los para ir ás compras,acredite que vai dar muitos nas vistas.

e quer ficar ainda mais chocada comigo? Telefonaram me da escola pois a mais velha está com febre.Trouxe ela e só agora as17h vou buscar o do meio e fiz tudo para o puto não me ver, pois se visse também óbvio que tinha de vir comigo.

e não me sinto culpada de nada...

Claro que os meus filhos por eles ficavam em casa e estiveram até aos 3 anos e meio...como vê nem sou assim tão má. não os despachei com 5 meses, foi só aos 3 anos.

Rita disse...

Maffa

Quando só tinha uma filha também era capaz de concordar contigo.


Quando tiveres 3 filhos diz-me a tua opinião e aviso já que 3 filhos é muito diferente de 2.Também eu dizia que quem tem 2 tem 3. Não é bem assim.... são o melhor do mundo,mas os 3 juntos... digamos que são muito solidários uns com os outros :P

Miguel e Irina disse...

Bem... nem sei bem por onde comecar, sinto que podia escrever um livro com estas respostas todas!
Primeiro foi a do ser pensante... aiiiiiiii! Eu tenho um curso superior e mesmo que não o tivesse seria um ser pensante.. não o somos todos?!
Não somos melhores aos olhos dos nossos filhos por sermos trabalhadores fora de casa... cada vez mais acho que a educacão não se aprende na escola!

Segundo, alguém se derigiu directamente a mim, julgo que a Rita num tom bastante arrogante, de quem teme mais do que deve...
Se a tua consciência esta tranquila então escusas de ser tão agressiva, pois eu não pretendi ofender ninguém.

Terceiro, alguém disse que é preciso ter 3 filhos para experimentar... eu conheco tanta gente que tem 3 filhos e faz tudo e mais alguma coisa, a comecar pela minha mãe e pela minha sogra.
Mas é exactamente por ser dificil criar 3 filhos, que eu não os pretendo ter. Como eu disse, ter filhos não é coisa que se tenha porque fica bem... é a maior responsabilidade do mundo.

Ah... quanto à brilhante desculpa do tempo de qualidade... a minha filha faz tudo comigo, adora! O esforco tem de partir das mães!
Quem vocês querem enganar ao dizerem que só os vão buscar às seis horas para terem tempo de qualidade???
É mais fácil ter esse tempo às 3 da tarde! Em minha casa, a partir das seis, faz-se os jantar, janta-se, arruma-se a cozinha... primeiro que uma mulher se sente a relaxar!
Só se fôr aquela horinha antes de eles irem dormir... uma horinha dispendida com os filhos em 24?! Mas para quê tê-los????????

Bom... para que saibam é a primeira vez que escrevo num blog, a primeira que leio um... foi por intermédio de uma amiga que tinha como titulo do e-mail: espero não ficar assim!
Vivo no estrangeiro, não tenho uma única ajuda, nem a avó, prima, tia.. nem sequer amigos, pois com filhos é mais complicado!
Conheco amigas como eu com 3 filhos, fazem TUDO.. se uma pessoa tiver calma, disciplina e método é claro que dá para ir ao supermercado! O grande problema é deposita-los no infantário o dia todo e depois quando estão com as mães (as pessoas que eles mais adoram) acabam por chamar a atencão da pior maneira.

E por favor, ninguém é perfeito, eu também tenho as minha falhas e criar um filho é muito mais dificil do que alguma vez imaginei, mas não venho para a internet fazer dos meus erros ou fraquezas, a coisa melhor do mundo! É ridiculo, ver pessoas a vangloriarem-se de atitudes menos boas numa tentativa de se auto-convencerem que estão a fazer o melhor.

Miguel e Irina disse...

Ah... Rita... se só pôs os seus filhos no infantário aos 3 anos e meio, nem sei porque me respondeu assim... eu pretendo pôr a minha filha na escolinha por volta dessa idade, até lhes faz bem o convivio.
Não pretendo ser arrogante, nem ofensiva, e cada caso é um caso, cada vida é diferente e cada pessoa também. Aquilo que funciona para algumas mães, não funciona para outras... há por aí mães que se ficassem em casa enlouqueciam e faziam pior às criancas!
O que eu critico aqui, é aquilo que explico no último paragrafo do meu texto, é fazer-se duma fraqueza humana, uma coisa boa.
De resto, sei que nunca mais quero ler nada, levo a maternidade muito a sério (acho que todas o levamos) e depois tenho de escrever testamentos a defender as minhas ideias!
De resto, acho que se as pessoas escreverem numa tentativa de trocar ideias é muito positivo.
Espero não ter ofendido ninguém.

Pelursa disse...

Olha que nem mais, também eu escrevi um post no meu blog sobre este assunto ainda ontem à noite e devo dizer que concordo com o Miguel e Irina e a Silvia .Tenho 2 filhos e esmifro-me todinha para que passem a maior parte do tempo com a familia, que afinal é o mais importante ! [ pelo menos para mim ]
Ainda esta noite acordei às 2horas da manhã e não dormi o resto da noite porque o mais novo tem 11 meses e é terrivel para dormir. Nas sestas que ele fez durante a manhã eu podia ter ido dormir , visto que o mano está na escola até Às 15:30 mas não o fiz para poder adiantar tudo para podermos brincar os 3 depois da escolinha do mais velho .
Não me acho melhor nem pior mãe que ninguém, mas à que concordar que algumas tentam esforçar-se mais, tal e qual como no emprego há sempre profissionais mais empenhados que outros.

Assumo-me uma pensante 24 horas por dia e deu-me um ataque de riso que quase me mijei toda com a "história" do ser pensante, porque exactamente nessa hora a sra em questão esqueceu-se de pensar no que estava a dizer !!!

Assumo-me uma mãe compulsiva e ainda gostaria de tentar um 3º filho quando estes dois que têm uma diferença de 4 anos forem mais independentes , mas claro está que tudo isso depende da minha vida . Ter filhos só por ter uma barriga tão grande e gira e pôr fotos no blog ?
- não obrigada .
E aqui podia dizer "n" coisas tipo "ai ,estou grávida mas eu sou contra o aborto" - mas depois não são contra os miudos andarem um dia inteiro presos numa escola???
Por favor !!!

Em casa fazemos muitos jogos a 4 ,brincadeiras no tapete - como diz o meu filho e acho que ganhamos todos com isso .Claro que ninguém é igual e tento não julgar ninguém mas Rita, um dia os teus 3 filhos vão crescer e vais perceber que quem brincou mais com eles foram as professoras, as auxiliares e vais ficar triste porque o tempo não anda para trás .
Mas cada um sabe de si ...

Rita disse...

Pelursa

Não um dia não vou pensar isso....

Eu estive com eles até aos 3 anos e meio em casa.Sou uma privilegiada.

Isso é coisa que nunca na vida vou pensar:)

Pelursa disse...

desculpa mas já pensaste ao ter o 2º filho e depois o 3º,
já pensaste e essas recordações foram tão boas e por isso mesmo repetiste porque se não não voltarias a engravidar.
Tiveste saudades não foi ?

o R. vai para o jardim de infância porque tem que ser mesmo e também eu me considero uma privilegiada por estar em casa com os meus 2 filhos.
O amor não se mede, não vou medir o teu .

Tânia disse...

Longe de mim armar-me aqui em mediadora, mas, e até porque cada um tem os seus contextos e particularidades, acho que devemos respeitar as opções alheias e não julgar. A ideia deste blog é precisamente essa, a da aceitação.
Eu aceito a opção da Rita como a Rita aceita as minhas. Como diz o provérbio, "Quem está no convento é que sabe o que lá vai dentro". Cada miúdo é um miúdo e se se calhar para mim é fácil ir com os meus para todo o lado, para outra pessoa poderá não ser, se eles simplesmente se portarem mal ou entrarem em stress em determinados sítios. Mal de nós quando nos acharmos perfeitas. É suposto fazermos o que é melhor para nós enquanto mães e mulheres. Se isso for ficar em casa com os miúdos ou não, ir buscá-los às 16 ou não, depende do caso concreto. Cuidado com julgamentos e afirmações. A maternidade não é uma ciência.

Rita disse...

olha Pelursa não foi bem saudades.apesar de ter não é(só) isso que me fazia querer ter mais que um filho.O 2 engravidei tinha a mais velha 1 ano e meio e não estava à espera,pois era programado mas não para tão cedo...

agora da 3ª foi assim uma grande surpresa...

já dizia a minha avó: A rita é como eu.. engravida só com o cheiro...loool

Joana disse...

Para mim uma das coisas que mais gosto neste blog é ler coisas pelas quais as mães desnaturadas passam, sem filtros, partilhas. Aquilo que expresso é aquilo que é importante PARA MIM, o que não quer dizer que seja assim para todos. Eu tenho necessidade de trabalhar fora de casa para me sentir bem. E se estou muito tempo, sinto falta de me sentir "pensante". Não é nenhuma acusação às opções de outras pessoas, é uma partilha sobre mim própria. Acho que não me sentiria feliz comigo se estivesse em casa. É só isso. Quem o faz porque o pode fazer, acho optimo. Mas não é o que eu quero fazer. Acho que esta escolha não tem nem deve ter consequências na minha "qualidade" em ser mãe. Acho que cada um deve fazer a sua escolha. Faço o máximo para não fazer juizos de valor das escolhas dos outros. Nem sempre consigo, mas faço por isso.
Adoro ser mãe, mas tambem adoro trabalhar e acho que uma não existia sem a outra. Mas isto sou eu, não estou a dizer que é o que é certo. é apenas eu.
Acho que não vale a pena ofendermo-nos e atacarmo-nos. E interessante ver as escolhas dos outros, e isso faz-me a mim pensar e por em causa as minhas proprias escolhas. E estou em casa e estou a pensar!

maes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
maes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tânia disse...

Declaro enquanto co-proprietária do blog que não se admitem julgamentos sumários de quem quer que seja, ok? Vamos lá acalmar as hostes.

Jo disse...

Entao eu ando super afastada da blogsfera e quando volto, deparo-me logo com mini acções de formação de como educar os filhos dos outros?

Já tinha saudades disto...:)

Tânia disse...

Ah, eras tu a dos comentários repetidos. Malandra. Estás boa?

Jo disse...

Era. Esta coisa assumiu o outro nome.
É mto tempo afastada nisto!

Estou sim...

Ehh pah a ver se o pessoal acalma os ânimos.
Beijos

Rita disse...

Como já disse a Tânia este blog é uma partilha e não um modo de ataque,.Acho muito bem que se diga as opiniões de cada um mas sem de algum modo ,fazer ataques ou julgamentos.

Por mais que eu dê a minha opinião seja em post ou em comentários nunca eu ataco os outros pois não faz parte da minha maneira de estar, pois todos nós temos telhados de vidro seja em que área for da nossa vida.

Tenho uns míseros 28 anos,mas aprendi que nunca se deve julgar os outros.

beijos para todas

XuXu disse...

Peace and Love...
Adoro o blog... e tou á espera do próximo post...
Tenho o cérebro a arder de tanta Hannah Montana k ouvi ontem á noite... Maldita pre´-adolescência... não dá pra carregar num boton pra adiar a cena?
Beijos Loucos

Rita disse...

xuxu

hannah Montana??nem me fales nisso!!


ainda para mais a miúda é tão parvinha,mas vá se lá perceber....deliram com a série

Joana disse...

O que voçês (e nós!) têm aqui é uma possibilidade de partilha fantástica! Eu aprendo imenso quando aqui venho, sobre mim e sobre os outros. Somos todos diferentes, e isso é uma riqueza enorme. Além disso, aqui ha uma tentativa de partilha sem julgamentos, das coisas difíceis da aventura de cada um(a) na maternidade. Era um dos objectivos que eu tinha quando fiz o blog com a minha irmã. Por isso, acho que todo(a)s os que aqui vêem e partilham estão de parabens! Bjs a todo(a)s

profpardal disse...

É por isso que não quero mais filhos. Uma já me chega. Se me vejo grega com uma, imagino com 3!!! Chiça!!

Tanucha disse...

Sou da mesminha opinião.
Apoiado.
E não se esquecem que as opiniões são como as vaginas.
Jinhos

Rita (a minha pequena lua) disse...

ora ai está, não interessa estares um dia inteiro com eles quando nem lhes podes dar a atenção que merecem e sentares-te a brincar com eles um pouco. mais vale menos tempo e de qualidade e é um facto que o trabalho de casa é imenso e tu com 3 então mulher... eu queixo-me muito disto que acabaste de escrever. trabalho fora e quando chego a casa são 6 da tarde, e já a trago comigo. mas depois, passo meia horita de qualidade com ela, porque entre fazer jantar, tratar de roupa, dar-lhe banho e dar-lhe o jantar que dura pelo menos 1 hora, vai-se o tempo. perto das 9 chega o marido e lá brincamos os 3 mais um pouco. 9h30/10h está na cama... gostava imenso de ter mais disponibilidade mas não consigo. acho que é mesmo para não te sentires culpada porque fazes o teu melhor e estás a pensar no bem deles e no teu.

Ana disse...

tambem tenho 3 filhos pequenos e só tenho a dizer "yeih!!!!"o ano passado pus o escirtorio em casa para poder ir buscar as minhas filhas o mais cedo possivel à escola, depois foram os 3 meses de férias em casa... em Setembro elas não se suportavam umas às outras e nem eu a elas... não é bom hoje em dia estarem em casa muito tempo, no meu caso, são muitas, a casa é um apartamento e realmente o que eu faço todo o dia é trabalhar, ou para o emprego ou para a casa...

sonia disse...

Mas é que dou-te 200% de razão!!!!!!!!!!!!!!!

marta disse...

Bom, devo dizer que sou uma privilegiada. E que, com consciência disso, não posso julgar ninguém.
Mas, já agora, aqui fica a minha "experiência":
Tenho 3 selvagens (9, 7 e 4 anos) e fiquei com eles em casa até terem 3 anos e meio. Desde que o mais novo foi para a escola acumulo as funções de mãe, dona de casa e teletrabalhadora (na verdade era teletrabalhadora com eles em casa, mas só à noite e durante as sestas; ou seja, trabalhava pouquinho pouquinho....).
Vivo ao lado da escola, de maneira que os deixo à hora limite - 9h30. Entre as 9h30 e as 10h vou ao supermercado (ao lado também), faço camas, arrumo minimamente a casa, estendo roupa... Depois trabalho das 10h às 16h30. Das 16h30 às 16h40 preparo os lanches e ponho a mesa para o jantar. Às 16h45-17h eles saem da escola. Vamos ao jardim (também ao lado) até às 18h45 ou à natação (perto, sempre a pé) das 17h30 às 18h15 2x/semana. Com ou sem natação, às 19h30 jantamos e às 21h estão na cama. Depois de arrumar, esfregar, limpar, etc, às 22h30 estou de novo a teletrabalhar, até às 24h, 1h, 2h, depende do que houver para acabar. Às 7h30 está tudo de pé novamente... (esta é, digamos, a agenda quando tudo corre bem... nem sempre corre assim, OBVIAMENTE!)
Mais dois privilégios: não há trabalhos de casa e o pai chega por volta das 19h.
E, sim, as férias são de 3 meses, mais o Natal e a Páscoa e o Carnaval (que eu até estendo pela semana inteira, como no meu tempo!). Mas para além de ficarmos em casa vamos ao jardim, à praia, a Monsanto, andar de eléctrico, de metro, etc e tal...

Não trocava o tempo que estou com eles, tenham a idade que tiverem, por nenhum outro do mundo. São dos miúdos que menos tempo passam na escola e ainda bem - têm amigos fora da escola, têm tempo para brincar como querem, têm tempo para não fazer NADA e para me atazanarem e me porem aos gritos.
So what? Prefiro que me vejam como sou do que como uma edição melhorada e photoshopada...
Acho que o tempo de quantidade é tempo de qualidade, SIM!

O senão disto tudo? É que para vivermos perto da escola, do supermercado, da piscina, do jardim e podermos fazer quase tudo a pé ou de transportes públicos pagamos uma pipa de massa pelo apartamento e estamos sempre com saldo negativo ao fim do mês. Não há saídas a restaurantes, não há roupa nova para ninguém (é tudo dado/emprestado em 2ª, 3ª mão - para miúdos e, muitas vezes, para os pais ;), não há jogos electrónicos/consolas/telemóveis/ipods/etc, não há fds românticos a dois - a não ser este que nos ofereceram pelos meus anos, YES!!!!, não há bolachas, sumos, várias marcas de iogurte e afins. Só há o básico, mesmo, mas andam bem alimentados e adequadamente vestidos...
Enfim, pobres, (mais ou menos) organizados e com bastante tempo, apesar de tudo, entre mãos.
Como muita coisa na vida, é parte sorte e parte (grande!) escolha.

A nossa foi esta e, realmente, só o facto de ter podido escolher já nos coloca no pedestal dos privilegiados. Era bom que tod@s pudessemos também escolher!!!!

Rita disse...

oh marta no teu comentário seduz me uma coisa... essa cena de teletrabalho.


que jeito me dava uma coisa assim. fui eu q escrevi o post e tb fiquei em casa com os mais velhos ate aos 3 anos e meio....agora estou com a mais nova em casa.

se puderes manda me mail paras

aperfeitos@gmail.com

MamãdoAfonso disse...

Pois mamãs eu não estou assim tão certa de ter tomado a melhor decisão... Trabalho de manhã, atè às 13.30 e depois vou a correr buscar o pimpolho à minha sogrinha...para vir almoçar enquanto ele dorme a sesta. Se for mais tarde ele já terá adormecido... A minha profissão é daquelas que depois exige que aproveite todos os bocadinhos do dia e da noite para trabalhar, quase sempre até ao fim de semana... O que é que ganhamos com isto??? Ainda estou à espera... O Afonso é totalmente dependente dos pais, come super mal, dorme muito mal, não fala correctamente, não sabe brincar sozinho, não adormece sozinho, enfim... o Afonso precisa de crescer e eu preciso de ser outra vez Eu e não apenas a mãe do Afonso... Gosto de acreditar que todo este meu esforço trará frutos, mas até ao momento nem as flores vejo... E agora para o colocar no infantário?? Nenhum dos dois está preparado...não acho saudável... Além de que quando estamos tanto tempo com eles, mesmo por opção, ficamos exaustas e já só queremos que durmam... Estou baralhada, talvez ponha o próximo na creche... ou tavez não! A maternidade tornou-me estúpida, admiro a vossa auto-confiança...