domingo, 24 de janeiro de 2010

Só para esclarecer

Na sequência do artigo, suponho eu, tivemos direito ao 1.º comentário desagradável, em ano e tal de existência e que podem ler nos comentários ao último post.
Porque poderão surgir mais comentários desse tipo e porque tenho mais do que fazer, segue esclarecimento à navegação:
- a comentadora falou que estão inerentes a este blog fins comerciais. Pois que realmente ainda não percebi o que pretende com essa afirmação. Como dá para perceber, este blog não tem publicidade, não tem acesso pago, não me pagam a mim nem às outras moças um tostão, não é um livro. Ou seja, que raio é isso de fins comerciais? Ultrapassa-me, de facto. Existe na notícia uma referência a uma negociata qualquer americana, mas isso não tem anda a ver connosco.

- refere igualmente que lhe falta credibilidade. Ora, aqui não estamos a tentar convencer ninguém de nada, por isso estou-me nas tintas para a credibilidade. São episódios no nosso dia-a-dia, com mais ou menos ironia. Não pretendemos vender nada, não temos de convencer ninguém de nada.

Para os comentários que feita parva tive a ideia de ir ler à própria notícia no site do Jornal:
- este blog é acima de tudo uma piada, uma ironia, pelos vistos conceito desconhecido de muita gente que acha que devemos ser cinzentas e não brincar com as situações. São brincadeiras de três pessoas que amam perdidamente as suas crias, mas que, como qualquer mãe, têm dias de desespero e, felizmente, sabem brincar com isso. Quem não tem o discernimento para distinguir uma piada, então realmente deve ser uma pessoa muito infeliz (e estou a conter-me na adjectivação).

Finalmente, esta exposição pública só veio a provar aquilo que eu disse à jornalista: as pessoas (característica do bom "tuga") não têm em geral qualquer pudor em sindicar as pessoas, ou seja, em criticá-las, em atirar pedras. O que é mais ridículo nisto tudo é que provavelmente nem se deram ao trabalho de ler os nossos posts, que qualquer QI mediano consegue atingir serem profundamente irónicos. Quando fomos contactadas para a entrevista, eu fui a mais reticente e isto veio provar-me que tinha razão. A necessidade de se atirar pedras aos outros, a incapacidade de perceber brincadeiras, é superior para muito boa gente. E isso é uma coisa que me causa uma profunda tristeza.

Espero ter sido clara. Obrigada e até sempre.

18 comentários:

Loira disse...

Ah pois, agora aparece gente a dizer tudo e mais alguma coisa e só vos resta ignorar, senão é um stress!
Há umas semans tb fiz uma pequena participação no correio da manhã, mas não aceitei ser fotografada, por isso mesmo| ;)

Eu sou mega fã do blog! Parabéns!

PS. Só não gostei de ler "Prefere não dizer a profissão." :)

Tânia disse...

Obrigada pelas palavras.
Optei por não dizer a minha profissão, como por não ser fotografada. É uma questão de privacidade.

Joana disse...

eu adoro vir aqui e sentir-me normal. Posso confessar que há muitas coisas com que não me identifico (e ainda bem, e sinal de diversidade!), mas há muitas que parece que podia ser eu a escrever. Acima de tudo, adoro a partilha e a honestidade e a ironia. E felizmente não há maes perfeitas!!! Bjs a todas!

Tânia disse...

Joana, como sabes, nem nós nos identificamos umas com as outras. Temos perspectivas diferentes, mas acima de tudo respeitamo-nos. E confesso que não estava preparada para a incapacidade de saber fazer humor com as coisas e de entender os "desabafos" no seu contexto.

Silvia disse...

sinceramente acho q este povo anda tolo de todo, q n sabe rir de si mesmo, pior, n sabe ser critico de si mesmo... pois duvido mt que alguma daquelas mães, em momento algum da sua vida, n tenha pensado o mm q aqui escrevem. e mesmo eu, q n me definiria como desnaturada (LOL) me identifico c mt do que aqui é dito. discordo de algumas coisas, é certo, mas n mais do q é normal qd se está a falar de pessoas, de personalidades diferentes, de vivências... Enfim.

Tânia disse...

Sílvia, é precisamente o que eu disse à Joana: aqui ninguém está a atirar pedras. Temos perspectivas diferentes de vida, mas acima de tudo temos uma coisa em comum, que é a capacidade de brincar com as situações. O resto depende da tolerância de cada um à diferença. Eu, sem falsas modéstias, sei que sou boa mãe, sei que sou dedicada e não é por escrever aqui que estou a assumir o inverso. É saber brincar com as coisas. Muitas delas eu escreveria sem dificuldade no meu blog "cor-de-rosa". Enfim...

Silvia disse...

oh minha amiga do coração... que alguma dúvida existisse sobre tu seres boa mãe... basta conhecer os teus filhos! esta gente n sabe mesmo o q diz. BOla para a frente q tens mais em q pensar...

Amores Perfeitos disse...

Como diz e bem a Tânia somos todos diferentes e mesmo nós as 3 que escrevemos neste blog somos diferentes e temos perspectivas muito diferentes mas nem por isso nos damos mal, respeitamo-nos!!

Todas nós somos boas mães e falo de mim e da Tânia e Joana, conheçoo-as para saber isso,mas nem por isso deixamos de ter os nosso desabafos e os nossos momentos menos bons como QUALQUER mãe.

e já me chega de falar nisto... .. acho que se há coisas que a maternidade me deu é não me incomodar mesmo nada com o que os outros pensam....já lá vai o tempo.

Rita disse...

Já sigo o vosso blog há algum tempo, e devo dizer-vos que me identifico totalmente (tenho 2 rapazes de quase 4 e quase 5 anos) com as situações e emoções, e é uma alegria ver que não sou a única mãe com vontade de rifar os miúdos de vez em quando ;) Parabéns pelo blog e pelo artigo no CM!

Sílvia disse...

Li agora o artigo. Está giro! Se calhar o facto de falarem naquele blog americano que dá muito dinheiro à sua dona levou alguns a pensar que o objectivo deste blog seria o mesmo!
Eu cá gosto muito de vos ler, identifico-me com algumas coisas, com outras nem por isso, mas respeito todas.
Beijinhos grandes e continuem por cá, sim?

Tânia disse...

Obrigada, Sílvia. Pela parte que me toca, dificilmente voltarei a escrever, a não ser quando passarmos a ter o n.º de visitas que tínhamos antes e passar esta reacção à notícia. Não tenho vocação para este tipo de abordagem, sabes, e lamentavelmente ainda me deixo chatear com estas observações.

Guida disse...

Olá Mães!
Eu fui mais uma que leu o artigo no correio da Manhã, gostei.
é preciso ter coragem para publicar as dificuldades que é ser mãe.
Eu também criei dois filhos homens e já sou avó, sei das dificuldades que as mães menos experiêntes sofrem.
Quem é que disse que ter filhos é facil, e que é sempre um mar de rosas? ser mãe é uma experiência que se adquire com a prática, e educar e acompanhar os crescimento e o desenvolvimento dos nossos filhos é uma grandiosa obra...
Nesta fase da minha vida eu já me viciei na internet e passo longo tempo aqui, mas já entendi que esta actividade não é compactível com as actividades de ser mãe...
eu já deixei quimar comida e fiquei aborrecida, se tivesse os meus filhos pequenos eu não poderia ficar na net tanto tempo.
Desejo que estas mães que se intitulam desnaturadas consigam levar a bom termo a sua vocação de mães que tenho a certeza levam a sério, aqui apenas partilham pquenos desabafos.
Fiquem bem
Saudações da avó guida

Amores Perfeitos disse...

Tânia querida tal como já disse.... esquece!!!


Ri-te e caga nisso....

LP disse...

Tânia, lálálálálá está bem? Gostei do artigo!

Fôfa disse...

Olá às três autores deste, lindo e maravilhosos, blog. Tal como muitas, identifico-me com as vossas situações e adoro vir espreitar as vossas histórias e saio sempre com um sorriso. Se ser desnaturada é isto então bem haja às mães desnaturadas e era bom que o mundo estivesse cheio delas. E já agora se houver maneira de ganhar $$$ why not??? Não pagamos a artistas, escritores, etc porque não pagar para poder ter o prazer de vos ler? Mas por mim podem continuar assim ... de borla.

Beijinhos a todas de outra mãe (des)naturada
Carla

Cristina e Omar disse...

Não sigo muito o blog, mas às vezes venho cá e identifico-me bastante.... Tenho um filho de 3 anos e vitalidade e energia é o q mais o identifica..... O vosso blog faz-me lembrar um episódio da Oprah, onde estavam lá mães q falavam a verdade nua e crua....
Como eu me identifico.
Adoro o meu filho, mas muitas vezes digo q se ele fosse raptado por aliens, uma hora estavam a devolvê-lo.
Continuem! É muito bom..... faz-me sentir como uma mãe normal, com dia bons e dias menos bons. Com dias desesperantes e outros dias luminosos.

Monica disse...

Quem comentou pela negativa deve achar que mais vale não desabafar onde quer que seja e ser como algumas que a páginas tantas dão sumiço aos próprios filhos...
Boa meninas!

! disse...

olá. sou pai há pouco tempo, e pela parte que me toca agradeço à reportagem do CM, pois sem ela não saberia da existência do vosso blog. apenas quero dizer que o acho... genial! simples, genuíno, humano, e bem disposto, pois realmente é fundamental sabermos encaixar com algum humor as situações mais duras da vida. obrigado às três! a partir de agora considerem-me um leitor conquistado e fiel. pedro