sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Diário de uma louca (ou quase)

Ontem, dia do aderente na Fnac. Ideia luminosa: como tinha reservado alguns presentes para comprar neste dia, vamos todos à fnac em excursão.

Cheguei à creche tarde, fruto de um exame médico que tive de realizar. Pegar nos putos, correr para o carro, correr para casa. Arranjar tralhas. Esperar pelo pai dos putos. Pegar no carro e correr para o centro comercial.
Entrámos no elevador. L. carregou no botão do -3 (estávamos no -1); passeámos por todos os substerrâneos do estacionamento... Começa bem.

Ideia imbecil n.º 1: ir primeiro ao continente, comprar umas merdices. Graças a um preço que não passava, estivemos uns 15 minutos à espera na caixa.
Nesta fase tinha a L. a querer sentar-se no balcão da caixa, a pendurar-se nos separadores existentes entre as várias caixas, etc. Começo a contar até 20.
O puto, que estava a dormir, acorda. Na boa... Porreiro, pá!

Seguimos para a fnac.
Como eu já tinha tudo identificado, para comprar, fui directamente aos respectivos locais.
Nesta fase tenho a L. agarrada a um livro da Barbie (MEDO!!), cuja compra, ditatorialmente, lhe negámos.

Vou em busca de Moleskines, um para mim, outro para oferecer. A L. também resolveu ir em busca de Moleskines... E de CD... E de tudo...
Nesta altura eu já contava até 40.
O puto começa a berrar: tinha fome.

Corremos para as caixas. Nesta fase, virei-me de costas para eles os 3 e fiz de contas que não os conhecia... Não resultou. Só ouvia a L. aos berros: "Mãããeeeeeeeeeee, eu não me potei mal!!!!!!" (reacção a um sermão do pai).

Vamos a correr para a zona de refeições. Mama para o puto, sopa trazida de casa para a miúda. Pai dá a sopa à miúda, miúda suja-se toda, depois de cuspir a sopa e dizer que estava quente e me tentar tirar o ticket da FNAC, onde eu confirmava um preço.

Nesta altura, pego no garoto e fujo dali para uma zona de sofás, para contar até 500. O puto, que já tinha mamado de uma das mamocas, a tossir, deita todo o leite fora... e para cima de mim.
Contei até 1000.
Segunda mamoca, o gajo não pegava nem por nada. Esperar... esperar... esperar... Finalmente pegou. Mamou, mamou, mamou. Saiu da mama, tossiu, vomitou tudo... de novo em cima de mim...

Entretanto aparecem lá o pai e a miúda, que já tinha comido a sopa. Comunico que quero ir para casa. Berreiro dela: "Mas eu quero comer massa!!!!!!!". Foi comer massa com o pai. Eu fui dar uma volta para acalmar e contar até 2000.

Fui ter com eles. Tudo sereno, ela bem disposta.
Entretanto, vemos que na FNAC se enganaram num preço, o moço vai lá reclamar... Tem de esperar na fila de embrulho de presentes, para ser atendido. Leva o puto, fico eu com a miúda a ler um livro.
Liga-nos depois para lá irmos ter, pois estavam lá uns moços a tocar violino e era possível que a L gostasse.

Durante 10 minutos a L. parecia aquelas criança-modelo: muito sossegadinha, a ouvir os violinos, tudo xpto.
Sentámo-nos os 3 no chão (eu, ela e o puto) a ouvir os mocitos, enquanto o pai tratava da reclamação. Ela toda contente, quase no final, pergunta-me se os meninos que estavam a tocar violino tinham pilinha... Lá lhe confirmei a suspeita, agradecendo aos santos ela não ter gritado a dúvida.

Ao sair de lá, resolveu que giro giro era atirar-se ao chão. Contei até 10000.
Seguimos para o estacionamento onde cada pedido que eu lhe fazia era prontamente insatisfeito.
Saltou-me a tampa, dei-lhe 3 berros, o maior sermão da vida dela e impus silêncio no carro até casa...
Até o pequenito obedeceu... Credo.

14 comentários:

Daniela disse...

tem dias que nos tiram mesmo do serio!!! eu as vezes tb berro "assim" e depois digo coitadinha é pequenina , não vou fazer mais isto!
dá proxima ou passado uns minutos estou a fazer igual......
ai dao-nos cabo nos nervos!!!!!!

Amores Perfeitos disse...

olha em relação a agarra-se a um livro da barbie,informo te que dificilmente consegues fugir "disso"...:P

essa da pilinha é demais, os meus nunca tiveram essa pancada, mas os meus filhos têm uma igualmente incomodativa. Que é anunciar qd querem fazer cócó. mesmo a B. com 4 anos e meio por vezes faz me dessas e eu passo-me logo com ela....


se é assim com 2 imagina qd for pelo menos com 3:P ( a Alice, pois claro...:P:P)

Sofia disse...

Ai...nestas alturas é que eu perco toda e qualquer vontade de ter mais filhos...
Bjinhos

Mãe da malta disse...

ahahahah adoro estes teus relatos, hilariantes!

apm disse...

Ui... Meu Deus...
Bjinhos e paciência.

Mamã Pirata disse...

Barrrr!

Fiquei cansada só de te ler:((

Mar Gui disse...

É nessas alturas que nos perguntamos: porquê é que um dia eu quis ser mãe :?
Bjs

Cristina disse...

LOLOL. Isso passa-se tantas vezes connosco. Será dos centros comerciais? Despertam o pior deles!

Cristina

Monica disse...

FOOOOOOOGOOOOOOOOOO!

Mãe da Rita disse...

Estava a pensar ir dar uma volta com ela na 4ª mas, depois deste relato, vou pensar duas vezes... Como não foi nada comigo, ri-me perdidamente... ;DDD Bjs!

Jo disse...

Eu confirmo que a L. adoraaa perguntar se aquele xenhor tem pilinha! É de rir....

Ana disse...

Podes adiar a entrada da Barbie lá em casa mas acredita, amiga, ela vai vingar! lolololo......beijinhos

Silvia disse...

epá n leves a mal mas sinto-me feliz por saber q n sou a unica a passar por momentos menos zen...viva a normalidade das crianças q de panhonhas estamos nós fartas...LOL

Kya disse...

Desculpa dar-te más notícias, mas elas só pioram com a idade (glup)... há dias em que nem posso ouvir a voz da minha filha! Se alguém entendesse como isto é genuíno e no entanto me derrete a alma por desgosto... ainda assim, acho que tens muita coragem por te meteres em tais confusões propícias a esses "meltdowns"... eu tenho de evitar todos os potenciais cenários de guerra, caso contrário dou "tilt". Não dou para mais, pronto.