quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Do 3.º filho

De vez em quando, há quem resolva dizer que eu e o G. temos de ir ao 3.º (a L. não conta, anda sempre a pedir-me uma mana, porque agora só anda a nascer manas na escolinha dela lol).

Então passo a explicar: eu e o G. trabalhamos ambos e não temos hipóteses de prescindir de um dos salários. Mas sem sequer falar no que implicaria, financeiramente, um terceiro filho, vejamos o resto:

Aqui em casa somos 2 adultos. Não há pais, sogros, tios ou primos para ajudar em SOS, ou melhor, haver há, mas estão a 300 km de distância (os mais próximos).

Portanto somos 2 adultos, que trabalham fora de casa, a ter de fazer rigorosamente tudo aos 2 pequenotes:
- O dia-a-dia com os 2 faz-se bem, apesar de ninguém parar 2 segundos lá em casa;

- Vamos nós levá-los à escola, vou eu buscá-los, porque saio mais cedo que o Pai (apesar de ser olhada de lado por sair à hora que saio, mas essa parte tive mesmo de deixar de ligar, senão a canalha jantava às 10 da noite). Já cheguei a ter de dizer "Desculpe, tenho de ir buscar a minha miúda" (ainda não aconteceu desde que regressei ao trabalho), o que motiva, a posteriori, bocas idiotas.

- Somos nós quem tem de faltar quando um deles está doente e, mais uma vez, somos (ou melhor, sou) olhados de lado no trabalho, como se gostássemos de ver a canalha a vomitar-se toda pela casa fora.

- Somos nós que temos de depachar dois banhos, dois jantares (e graças aos santos a L. há muito que come à mesa connosco).

- Somos nós quem tem de arrumar a casa depois de eles irem para a cama ou à hora da sesta aos fins-de-semana, porque enquanto estão acordados é praticamente impossível.

- Em casos de emergência, em que temos excesso de trabalho, mas temos a canalha a precisar ainda mais de nós, azar do caraças, temos de nos desenrascar.

- E eu tenho ainda um bebé a mamar 5 vezes por dia.

Ou seja, se alguém me volta a falar em 3.º filho, não respondo por mim. :P

23 comentários:

Monica disse...

:D

Silvia disse...

lol...bem...falei nisso ctg...glup...mas era para mim...LOL Bem te entendo, mas eu tenho mesmo a nitida sensação que quero ter mais filhos, custe o q custar financeiramente...mas na minha terrinha...onde tenho toda a familia, onde td é perto e mais barato...ai nem digo q n vá ao 4.ª lol

Cristina disse...

Claro. É fácil falar. Mas difícil ter. LOL
Pode ser que um dia... LOL

Cristina

Tânia disse...

LOL Ao 4.º? Sua tola :P Eu gostava de ir ao 3.º, mas precisava de uma criada á moda antiga, que me fizesse tudo em casa e ainda pudesse ir buscar os putos à escola se nós não pudéssemos :P

Angi e Bia disse...

Lol...eu nem sei te tenho coragem de ir ao 2 quanto mais ao 3...
Bjocas Grandes

Silvia disse...

epá n teria criada à moda antiga mas duas avós q se iam acotovelar para tomar conta dos pirralhos...na prática é igual pois fazia chantagem c a roupa por passar e comidinha para fazer...lol

Tânia disse...

lol, Sílvia...
Ah, esqueci-me de dizer, a minha criadita tinha ainda de ter carta de condução, para além da completa ausência de vida própria... :P Ai ai

Daniela disse...

xiiiiiiii
manda-os á fava...
já tens trabalhinho que chegue..
eu quero ir ao 2º e já penso ai meu deus que vou dar em doida!!!!!!!!!!!
lol

Rita disse...

olha pela minha mãe eu teria uma resmas de putos,mas como n é ela que os sustenta e os cria fica-se pela vontade.

aqui tb não contamos com avós p nada... estamos sozinhos e fazemos tudo sozinhos.

Há pessoas que pensam que é so preciso e fazê.los eque depois eles criam se sozinhos....


qt a ter um 3º filho..... nem vou comentar:P

Silvia disse...

adenda- teriam os 4 de nascer em maio...para as roupas passarem de uns para outros...lol

Miepeee disse...

Compreendo que seja bastante complicado, eu so tenho uma e estou sozinha, nao fosse a babysitter e estava bem lixada.

Loira disse...

LOL para ti e para a Silvia.
Por cá há um miúdo difícil, uma mãe diariamente sozinha com ele, pq o pai trabalha à noite (e provavelmente trabalhará até ele ter 18 anos), uma cadela q mais parece filha, uns avós q podem ficar com o neto por vezes (apesar do cansaço) e outros q, devido à idade avançada, já não têm essa capacidade.
Na realidade, estou sempre a ouvir devias ter mais um. Ou está na altura de lhe dar uma mana, etc. Vontade, por vezes, não me falta. Mas só eu sei o q me custa criar um praticamente sozinha. Confesso q, com o trabalho q ele me dá (é um miúdo mto difícil mesmo), não me consigo imaginar com ele, um recém-nascido e a cadela sozinhos diariamente. Se quando engravidei nem sequer pensei neste pormenor, agora não deixo de pensar. Se optar por ter mais um filho, estou tb a optar por criá-lo igualmente quase sozinha nos próximos 18 ou 20 anos. Não sei se consigo e nem sequer sei se sou capaz de ter mais essa responsabilidade.
E eu que até gostava de ter 3.
bj*

Mamã e Tesourinhos disse...

Como te compreendo. Por cá temos os mesmos problemas tanto no trabalho como não termos família por perto para apoiar (nem sempre dá para fazer 300km para os ir deixar...).
Fica bem.
Bjs.

Ana disse...

Eu depois de ter o 2º coloquei de lado a hipótese do 3º....por mil e uma razões, sendo que muitas já aqui foram referidas....beijinhos

cris ferreiro disse...

3º nem pensar cá em casa. Com dois o que vai valendo ainda é a minha mãe porque a cara metade tem horários parvos. Até porque não temos casa, dinheiro para isso. O facto de ter passado por duas gravidezes e dois partos chega perfeitamente. A Lara tem 3 meses. mas ouvi essa pergunta, tinha ele 1 mês!!!
beijos

Sílvia (hoje é...) disse...

Eu também gostava de ter mais mas tenho os mesmos problemas. Pode ser que a vida mude, quem sabe!
Beijinhos.

sofie disse...

Olhem eu já acho, com os dois a trabalharem e com a vida dificil como está, ir ao 2º uma coragem imensa.

sofie disse...

Esqueci-me de dizer que qdo vem a celebre pergunta: Não achas que o Diogo precisa de um mano/a? A resposta tem feito com que não volte a ser repetida. Não! (Com uma cara de muito poucos amigos)

Mãe das Borboletas disse...

Este post podia ser meu ;)

Beijo

Kya disse...

Olha que sorte! Em minha casa sou só eu para dois filhos, também trabalho fora todo o dia e entro no segundo turno, como lhe chamo, quando tenho mesmo de sair à hora e ouvir as tais bocas idiotas para ir buscar a miúda à escola e o bebé à creche. Também não tenho pais, sogros, primos, tias, vizinhos, népias, e muito menos empregada porque ou pagava a alguém ou almoçávamos e jantávamos todos os dias do mês. Claro que cada um é que sabe das suas condições de conforto, mas a mim parece-me que se um casal tiver condições que tenho, bem podem ter quatro como se fossem só dois... é sempre uma questão de vontade e também não interessa ter filhos de outra forma, claro!

Tânia disse...

Sou uma malandra preguiçosa, é mesmo isso! lol

Kya disse...

Não pretendia chamar ninguém de preguiçosa! Porque eu sou muito preguiçosa, ai sou sou! Só que, apesar de tudo, vejo que é a tal questão de "correr por gosto" e nisso cada um é que sabe quanto quer correr (e não quanto gosta, claro). Sei que se tivesse um pai dedicado ao meu lado, a fazer tanto quanto faço (ou aproximado, ao menos!), a minha vida era tão fácil, mas tão fácil, que podia ter mais 2 ou 3 filhos e mal notava... sim, o que custa é passar de 1 para 2, não sei se depois qualquer aumento não será apenas um mero ajuste logístico! Mas como já não conto experimentar, confio no que ouço dizer...

Cláudia disse...

O truque é fechar os olhos. Sou uma despreocupada por natureza, e acredito, como disse a Kya, que quem corre por gosto não cansa. Sempre disse que queria 3; neste momento tenho uma e uma cadela (conta como dois, quase!!), estou a pensar no 2.º e não descarto ainda o 3.º!
Pode vir a ser um caos, uma dor de cabeça tremenda, mas como disse aquando da 1.ª, e como considero válido para todos, sejam eles quantos forem: tudo o que choram, berram, birram, tudo o que nos põe a cabeça em água desaparece quando nos dão um sorrisinho. E isso compensa tudo!
Cláudia