quinta-feira, 29 de abril de 2010

Eu, aos olhos da minha filha

Aqui há dias, estávamos na Fnac, quando o A resolve fazer a cena do costume quando não quer sair de um sítio, ou seja, deitar-se e rebolar no chão. E eu fiz o do costume: tentar que ele venha, voluntariamente, a levantar-se (que nunca resulta) e, depois disso, esconder-me, para ver se ele se levanta para ir ter comigo, mas nunca o perdendo de vista, óbvio.
Nesse dia, o meu marido estava a pagar, ele deitado no caminho e eu e a miúda escondidas a ver se o gajito se levantava para vir atrás de nós. O puto não vinha. Entretanto, vi que o meu marido se aproximava do sítio de onde estava o puto e disse à L para irmos saindo.
Ora, ela não se apercebeu de que o pai estava já ao pé do irmão e, enquanto saíamos, disse-me, com voz honestamente preocupada:
"Ai... Espero que ninguém leve o A..."

3 comentários:

Rita disse...

LOL

as coisas q ela aprende ctg:P


mandei te mail p o teu gmail

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Miuda preocupada :))

Mãe(q.b.) disse...

LOLOLOL

Tu já n enganas ninguém :D

jocas